domingo, 3 de setembro de 2017

Não fiz nada nesse mundo

Não fiz nada nesse mundo, só alguns recados dei
Ouça música quem não assovia sozinho
Acredite no escuro os que gostam do sol
Atravesse a avenida vida olhando para os dois lados

Não fiz nada nesse mundo, só alguns recados dei
Ame só uma vez se quer ser feliz, ou seja sofredor
Sofrer também pode ser muito bom
Caminhe sempre na sombra pois o sol te persegue

Não fiz nada nesse mundo, só alguns recados dei
Cuide de olhar teu passado com carinho: o futuro é sonho
Sonhar é o plano, viver é a consequência, aguente!
Tenha fé pois com ela a dor diminui, com ela respire


Não fiz nada nesse mundo, só alguns recados dei
Caminhe em frente e ao olhar para o lado não repare
Não repare no concorrente pois ele pode te deprimir
Seja feliz com parcas ideias, só porque são suas

Não fiz nada nesse mundo, só alguns recados dei
Suar e bom e descansar é melhor, vencer não é objetivo
A vida vai te abanar o rabo sempre, dê uma cutucada nela
Mande à merda quem de lá merece ficar, sorria, beije


Não fiz nada nesse mundo, só alguns recados dei
De amor vais pouco entender, se quiser sofrer invista
De amigos vais aprender, se quiser abrace e perdoe
Do nada tire o tudo pra morrer vazio, cheio de amor

sábado, 26 de agosto de 2017

O transito mata



O transito mata

Mata andando e mata parado. O transito que flui traz problemas de excesso de velocidade, atropelamentos, etc.. O transito parado também mata, e talvez mais! A grande cidade sem alternativas de locomoção para a população vai colocando carros nas ruas, poluindo e trazendo outra estatística de mortes; explicando melhor: quantas vidas foram perdidas por falta de atendimento rápido ao doente? Quantas ambulâncias não perderam um valioso tempo engarrafado? Quantas pessoas já passaram mal (até de raiva) dentro de seus carros parados? Quantos assaltos ocorrem pelo maldito trânsito parado? Esses números não são contabilizados!

Recife, uma cidade plana e possível de se fazer ajustes para implantar sistemas de transporte de massa adequados (trens de superfície, VLT, BRT, balsas, etc...) não tem nenhum projeto de melhoria. A população com mais recurso compra carros e clama por vias expressas (via mangue e outras) só esquece que isso é o pior caminho, o funil aperta! De que adianta sair do centro pra Boa Viagem e ficar engarrafado perto do shopping? Lá você será assaltado e perder tempo. Os bairros centrais tem ruas estreitas e tudo para... Estão errando sistematicamente em manter e colocar mais carros nas ruas! Os ricos adoram! Se tiver problema de segurança manda blindar o carro, uma beleza. Até que um dia o sujeito passa mal no carro e vai sofrer um AVC de frente para o mar...

Pernambucanos, acordem para a modernidade, exijam transporte público e de qualidade ou, se mudem para o interior.


sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Uma mensagem






Foi nessa escultura que li tua mensagem
Estava tão parado no seu tempo que descobri
Que teu teus olhos não me viam
Que tuas mãos as minhas não esperavam


Ali , no lindo jardim de Luxembourg eu chorei
As lágrimas mais tristes que Deus criou
As do amor incompreendido, do calor perdido
Hoje olho meu álbum de retratos e vejo
Uma lágrima manchando a foto
A foto me olhando com pena da dor
A dor olhando paris e paris sorrindo pra mim
Ah paris, sempre perdoando amores
Te amo 💕

Vaso de flores



Meninos segurando flores
Flores transbordando vasos 
A minha retina abordando cores
As flores e cores transbordando amores
Mil...

Rue Madame



Na rue Madame havia uma porta 
Não era uma porta qualquer, havia madame
Não uma madame qualquer, uma fina senhora 
Ela morava lá , atrás da porta , elegantérrima

Tão fina e elegante senhora pois rua era
Tão bela e graciosa criatura que só lá existe

Em Saint Germain des près ela é única 
Lá em paris habita uma senhora porta,
Uma porta, sim senhora!

Une Madame , tout simplement ...

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Negro gato




Negro gato

Eu, na minha juventude, fui de encontro às aventuras musicais e esbarrei no Luis Melodia, um jovem negro do morro do Estácio que se lançava na concorrida carreira musical dos anos 70. Eu fiquei cunhado do artista por um mero acaso e chegamos a curtir algumas noites musicais juntos, onde já se via o brilhantismo do franzino cantor-compositor, preto, negro, pobre e feio. Foi assim que o convidei para uma festa na minha casa no Alto da Boa Vista, onde meu pai gostava de celebrar a sua vaidade e ouvir músicas; às 4 horas da manhã era servida uma tradicional feijoada... Bons tempos em que o Negro gato sentado na grama fria tocava suas músicas e meu pai, ao notar o movimento dos convidados para ouvi-lo me perguntou: " quem é aquele neguinho que toca na grama? " , eu respondi simplesmente, " um amigo, Luis Melodia " ; pois bem, o neguinho comeu e entrou na casa para mostrar seu talento aos ouvintes. A vida seguiu, cada qual no seu caminho, alguns anos mais tarde nos esbarramos em outro encontro rápido, já famoso, foi de uma simplicidade a me convidar para tomar uma cerveja e lembrar fatos comuns.
 O Negro gato é, sem dúvida alguma, um gênio da música. Tinha uma voz aveludada e afinadíssima! Aos que gostam de música e de gatos não deixem de conhecê-lo no magnífico disco " Maravilhas contemporâneas "( 1976 ), onde sua criatividade vai buscar no jazz o tempero das composições, um artista revolucionário, um felino saltando sobre telhados musicais únicos, beirando a perfeição.

Eu quero é mel !

Descanse meu ídolo, na paz, junto aos gatinhos do céu.

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Quebra-mar

Me deram o nome de quebra-mar 
O mar não se quebra nem se dobra
O mar é parte de outra parte e não se parte
O mar é o tudo 

O céu é testemunha do nosso amor quebrado, queimando ao sol ardente 

O sal dosa a saliva dos beijos eternamente roubados na areia branca

Não sou nada mais que um caminho reto em direção do horizonte distante 
Não me chamem de quebra-mar, só de pedra amar ou melhor só de amar

O mar